Assessoramento técnico

Recursos

Atendendo ao seu design existe uma série de características que diferenciam uns modelos de outros proporcionando-lhes propriedades ou funcionalidades adicionais a ter em conta.

Algumas das nossas paletes da gama Medium, Heavy Duty e Custom dispõem de vários reforços metálicos no seu interior que lhes conferem uma maior capacidade de carga. Geralmente, as paletes são reforçadas para aumentar a sua Carga em Rack, dado que esta é a carga mais restritiva de todas as cargas e também a que exige uma maior segurança, devido aos riscos que um incidente nestas condições pode acarretar.

Em muitas situações não é necessário reforçar a palete de plástico para que possa funcionar em rack. No entanto, as paletes de plástico têm uma durabilidade muito longa e, durante a sua vida útil, é possível que, devido a manipulações acidentais, elas sofram algumas deteriorações, dando azo a alterações na sua conceção original. Por este motivo, o facto de disporem de reforços metálicos aumenta a segurança das manipulações em rack, sobretudo em condições de carga máximas.

O nosso catálogo contém diversos tipos de paletes, em função do número de patins na base das paletes. Em função da sua disposição, as paletes podem ter mais ou menos características que devem ser devidamente analisadas para a seleção da palete ótima para uma aplicação

  • 9 patins: Estas paletes dispõem de uma superfície de apoio muito reduzida e portanto não são recomendáveis para aplicações de empilhamento ou de prateleira (rack). Assim, não têm a capacidade de ser manipuladas em tabuleiros de rolos. Contudo, muitos dos nossos modelos de 9 pés dispõem da opção de colocação de patins proporcionando-lhes mais funcionalidades
  • 3 patins: As paletes de 3 patins dispõem de uma superfície inferior de apoio equivalente a, pelo menos, 35 % da área da palete. Esta é a configuração mínima recomendada para aplicações de empilhamento. Por outro lado, esta também é a disposição mínima para permitir a sua colocação em estantes. São adequadas para uma utilização em transportadores de rolos, mas unicamente na direção em que os seus patins estiverem orientados.
  • 5 patins: Estas paletes dispõem de uma configuração de patins longitudinais e transversais que lhes conferem uma maior superfície de apoio inferior melhorando o empilhamento ao mesmo tempo que melhoram a sua resistência em rack devido a uma melhor distribuição de tensões. Esta configuração de patins é conhecida também como “Estrutura Perimetral (Perimeter Frame)", e é recomendada para aplicações de empilhamento e rack com grandes exigências de carga. Dessa forma, a disposição dos patins proporciona-lhe a capacidade de circular em ambos os sentidos nos tabuleiros de rolos.
  • 6 patins: As paletes de 6 patins são aquelas onde todos os seus tacos estão ligados entre si através de patins longitudinais e transversais, conferindo ao equipamento a máxima superfície inferior. Esta configuração é também conhecida como "Estrutura Perimetral em cruz (Cross Perimeter Frame)". Herda todas as características dos modelos de 5 patins, aumentando a sua resistência. O seu uso é ideal para as aplicações com as máximas exigências de empilhamento e uso em prateleira (rack). 

Chama-se encostos a pequenas saliências existentes na superfície superior das paletes de plástico, habitualmente no seu perímetro exterior. Quando as paletes não estão a suportar qualquer carga, é vulgar estarem armazenadas em torres com diversas unidades. Por vezes, estas torres de paletes vazias são manipuladas sem o recurso a qualquer elemento de retenção, como, por exemplo, cintas ou películas, e, nessas alturas, a utilização dos referidos encostos ajuda a manter as paletes empilhadas.

Por outro lado, existem várias conceções em que os encostos foram concebidos para ajudar a reter a mercadoria no interior do perímetro da palete. A utilização mais comum deste tipo de encostos prende-se com o transporte de caixas com todo o tipo de produtos.

Assim, existem paletes com encostos de várias formas diferentes, com diversos tamanhos e funções, bem como paletes sem encostos, pois há situações em que os encostos podem deixar marcas nos produtos (sobretudo os produtos que estão dentro de caixas de cartão), pelo que por vezes se opta por eliminar esses encostos. Regra geral, as nossas paletes de plástico dispõem de um encosto padrão, mas se os nossos clientes no-lo solicitarem, podemos produzir paletes sem encostos ou modificar os encostos existentes para os adaptar a uma necessidade concreta.

Entre os diferentes modelos de paletes de plástico disponíveis no nosso catálogo existem designs com superfícies totalmente fechadas ou abertas. Em certos modelos, existe a possibilidade de escolher entre ambas as versões.

Habitualmente, a forma padrão de uma palete tem aberturas na sua superfície, já que esta é a forma mais simples de reduzir o peso e de permitir a circulação de ar em aplicações de baixa temperatura. Por outro lado, outros modelos de paletes têm de ser produzidos com aberturas devido ao próprio processo de produção. Uma palete com aberturas na sua base é mais leve do que uma palete equivalente cuja superfície seja toda fechada. Por isso, e a menos que haja necessidade de satisfazer um requisito especial, regra geral as paletes com aberturas são as preferidas.

No entanto, muitos dos nossos clientes preferem as superfícies totalmente fechadas, para permitir uma limpeza ótima da superfície após a sua utilização, e também para impedir que, no caso de cargas a granel, a mercadoria possa cair, e ainda para reduzir os pontos de pressão que a carga terá de suportar durante o transporte. É importante não confundir as paletes de superfície fechada com as paletes higiénicas, uma vez que se trata de produtos totalmente diferentes.

Na altura de escolher uma palete é essencial saber com exatidão as diferentes formas de manipulação a que vão ser submetidas ao longo de toda a cadeia de distribuição pelos diversos utilizadores do equipamento. É absolutamente normal que, à medida que a palete for mudando de proprietário, a manipulação seja levada a cabo de maneira diferente e com outros elementos de manutenção.

Desta forma, existem paletes de 2 vias que só permitem a sua manipulação por duas das suas laterais (laterais compridas ou laterais curtas), e de 4 vias, que podem ser manipuladas por qualquer uma das suas laterais. As paletes de 4 vias são mais versáteis, pois permitem a sua manipulação a partir de qualquer direção.

Além de dispor de janelas, para ser considerado de 2 ou 4 vias, estas devem dispor de uma dimensão que permita a sua correta manipulação com diferentes elementos de manutenção.

Muitas das nossas paletes de plástico admitem diferentes tipos de personalizações, em função das necessidades do cliente. Devido ao tempo envolvidos nas personalizações do processo de produção e à sua complexidade, existe uma quantidade mínima de encomenda para este tipo de produção.

  • Cores: A cor padrão do nosso catálogo é o preto (cinzento escuro), no entanto, a pedido, podemos realizar produções à medida, com a possibilidade de produzir qualquer modelo numa determinada cor. Para conseguir um grau elevado de precisão e de continuidade relativamente à cor selecionada, é fundamental utilizar materiais Premium (virgens). Também é possível obter cores mediante a utilização de materiais reciclados, mas estes podem apresentar diferenças entre si e grandes variações de tonalidade.

  • Gravações: Todas as nossas paletes permitem a incorporação de gravações personalizáveis. Para a realização de uma gravação é necessário dispor de um “postiço” onde previamente se gravou o logótipo ou a marca que se deseja colocar na peça. Este “postiço” é colocado no molde e cada peça que é produzida já é extraída da máquina com a gravação, normalmente em baixo relevo. A gravação não tem nenhum custo, mas é procedimento habitual que o cliente pague o custo do “postiço”.

  • Serigrafia ou Tampografia: A personalização por meio de serigrafia ou de tampografia é realizada mediante um processo de impressão a tinta posterior à produção da palete. Para esse efeito, tem-se uma matriz onde está gravada a marca ou o logotipo a imprimir no produto, que é transferida(o) para a peça por meio de uma máquina. Esta personalização acarreta um custo adicional, a ser acrescido ao valor do produto, fruto da necessidade não só de uma manipulação dupla, mas também do próprio custo do processo.